Ecos do Anhembi…

Três dias de folga, que o blog também merece, e aí está a galeria com os carros de competição expostos no Salão do Automóvel, encerrado sábado no Anhembi. Como sempre, o fascínio das pistas é bem aproveitado pelas montadoras, seja mostrando que os modelos de rua podem encarar as corridas, seja apresentando máquinas que raramente estão tão próximas e muitas vezes só podem ser vistas pela TV.

Claro que tem gente empurrando gato por lebre – os chineses da Great Wall se limitaram a decorar um de seus SUVs com as cores do modelo que disputou o último Dakar, enquanto a Subaru ficou no meio do caminho. Um telão gigante mostrava o Impreza WRX STI que disputou as 24h de Nurburgring e, logo ao lado, estava um carro bastante semelhante ao das imagens: asa traseira imensa, freios Brembo, adesivos cuidadosamente colocados, nomes dos pilotos na janela, mas, os vidros recobertos com uma película escura que não permitia ver o interior, lógico que para esconder que não havia gaiola de aço, banco concha, interior preparado e tudo o mais. O Mini All4 de Stephane Peterhansel, ao contrário, tinha tudo. Dos dois amortecedores Reiger por roda ao complexo sistema de navegação diante da “poltrona” do navegador.

E a Mitsubishi manteve o automobilismo como grande chamariz – há quem reclame que a filial brasileira da marca dos três diamantes não ofereça os utilitários à imprensa para testes e prefira apresentá-los em seus eventos, como a Cup, o Motorsports e a nova Lancer Evo X Cup. Eu respeito a política da montadora japonesa e considero que, se é o caso de julgar, que se faça como as revistas que compram os veículos, justamente para avaliar com isenção. Enfim, bom foi ver de perto toda a simplicidade do I-MIEV, o pequeno protótipo elétrico conduzido pelo bota Hiroshi Masuoka, veterano do Dakar, à vitória em sua categoria na subida de Pikes Peak; o Racing Lancer de Guilherme Spinelli ou o próprio Evo X de pista, um foguete de quase 300cv e tração nas quatro rodas. Nem todos pensam da mesma forma, mas felizmente a máxima de “win on sunday, sell on monday” (vença no domingo e venda na segunda) ainda tem fortes adeptos na indústria. E, a julgar pela concorrência feroz, muito espaço para mais e mais carros, utilitários, picapes e jipes capazes de brilhar nos autódromos, trilhas, estradas de terra… em tempo, a Honda CRF450X Rally de Felipe Zanol é uma intrusa entre as máquinas de quatro rodas porque a ocasião justifica. O mineiro conta com um protótipo pensado nos detalhes e cujo resultado dá gosto de ver, ao vivo ou na foto…

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s