Ecos de Daytona

Se o leitor der uma olhada no número de posts publicados, no pé da página, verá que o próximo será bastante especial. Antes dele, o milésimo, o blog se concentra nas histórias interessantes das 24h de Daytona, não necessariamente as mostradas pelo cronômetro e a sequência das voltas.

Como a da tripulação do Porsche 911 GT3 RSR #62, que terminou em 11º entre os GTs, em que estavam Melanie Snow e Madison Snow – respectivamente mãe e filho;

O fato de que pilotos mais do que experientes em provas de longa duração como Frank Biela e Markus Winkelhock (filho de Manfred) apenas agora fizeram sua estreia na clássica e de que Charlie Kimball se tornou o primeiro portador de diabetes a conquistar a vitória geral;

Que nenhum dos Mazda 6 Diesel da recém-criada categoria GX superou a marca das 60 voltas (o Riley-BMW da Ganassi recebeu a bandeirada depois de 709). Mas a Audi, por outro lado, finalmente incluiu no currículo um sucesso na maratona da Flórida, ainda que com um GT, já que seus protótipos não se encaixam nas regras atuais e nem nas futuras, quando quem hoje está na ALMS (LMP2, GT e GTC) se junta à festa. Aliás, Filipe Albuquerque e Edoardo Mortara mereceram o Rolex no pulso e confirmaram que caminham para ser os Kristensens, Capellos e McNishs do futuro próximo. Os moleques aceleram muito e mereciam melhor sorte nas categorias de fórmula.

Sem contar o fato de que Rubens Barrichello e Tony Kanaan sentiram na pele como é complicado pegar a mão deste tipo de carro e pista – Rubinho foi, em média, três segundos mais lento por volta que os melhores tempos da GT. Coisa que Xandinho Negrão e Daniel Serra, por sua vez, conseguiram fazer com elogios, talvez por conhecerem bem a Ferrari 458 Italia.

A 51ª edição das 24h talvez não tenha sido a mais emocionante, ou uma que será lembrada de forma especial mais tarde, mas provas assim, na minha humilde e modesta opinião, são como pizza: não tem ruim, tem menos boa. Considerando o que vem pela frente, é de se esperar com expectativa pela largada em 2014, quando um novo momento nas corridas de longa duração terá início (e a estreia da Corvette C7R já está confirmada). Para ficar por aqui, algumas imagens do que foram as extenuantes, imprevisíveis e sempre especiais duas voltas do relógio no “World of Motor Racing”

Fotos: Grand-Am/divulgação e Carsten Horst/Via Itália Racing

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s