Hmm, sei lá… será?

Depois que o próprio chefe supremo do circo vem a público para, no melhor estilo Bernie Ecclestone, dizer que não pagaria ingresso para ver a F-1 atual, fica difícil consertar as coisas. O inglês pode se dar ao luxo de afirmar isso, primeiro porque já fez muito para transformar a brincadeira de “um bando de garagistas” num espetáculo global; e segundo porque já tem dinheiro suficiente para não depender dos lucros de sua galinha dos ovos de ouro, sem contar que não estará à frente da categoria para sempre.

Dito isso, fico cá imaginando se a decisão da Comissão de F-1 de tentar apimentar mais uma vez a qualificação, com efeito já para o campeonato deste ano, vai ajudar ou atrapalhar. Se você não viu, será algo assim: continuaremos com a divisão em três fases (Q1, Q2 e Q3) mas, a partir de um determinado tempo, o mais lento vai sendo eliminado, e assim sucessivamente, de 90 em 90 segundos, até que reste a turma que vai adiante. E, quando a pole estiver em jogo, restariam apenas os dois mais rápidos num tira-teima decisivo. No ciclismo isso já se faz há décadas e se chama prova Australiana, ou por eliminação.

Sim, tem o lado bom de obrigar os pilotos a estarem na pista o tempo todo, acabando com aqueles tempos mortos que nem mesmo o sistema atual foi capaz de dar fim. Mas eu fico pensando nos casos em que a volta for maior do que 90 segundos, como é que vai ser feito? E se o narrador, o comentarista e a cronometragem comerem mosca? Acho pouco, diante das ideias de se criar uma corrida de qualificação que já distribuiria pontos, ou coisa do tipo.

Fora que a “revolução” técnica já foi por água abaixo. A primeira proposta era de tornar os carros até seis segundos mais rápidos por volta, na proporção quatro (aerodinâmica) e dois (pneus). Agora, já se fala em apenas três segundos, o que significa que boa parte das mudanças para aumentar o downforce e favorecer as ultrapassagens não devem ir adiante. Definição nos próximos dias, mas com certeza será pouco para alterar o cenário desenhado por Tio Bernie… Só para ilustrar, mais uma imagem da Toro Rosso STR11 Ferrari, que ficou maravilhosa como veio ao mundo, sem decoração…

MONTMELO, SPAIN - FEBRUARY 22:  Carlos Sainz of Spain and Scuderia Toro Rosso drives during day one of F1 winter testing at Circuit de Catalunya on February 22, 2016 in Montmelo, Spain.  (Photo by Clive Mason/Getty Images)

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s