Agenda antes da pausa, ao menos no circo

 

Internacional

Mundial de Fórmula 1: 11ª etapa – GP da Alemanha (Hockenheim)

Mundial de Rally (WRC): oitava etapa – Rally da Finlândia

GP2: sétima etapa – Hockenheim

GP3: quinta etapa – Hockenheim

Europeu de Fórmula 3: sétima etapa – Spa-Francorchamps (BEL)

Blancpain Endurance GT Series: quarta etapa – 24h de Spa-Francorchamps

Verizon Indycar Series: 12ª etapa – GP de Mid Ohio

Nascar Sprint Cup: 21ª etapa – Pensylvanna 400 (Pocono)

Nascar Xfinity Series: 20ª etapa – US Cellular 250 (Iowa)

Nacional

Brasileiro de F-Truck: sexta etapa – Interlagos

Na telinha:

Sábado (30)

8h55         Fórmula 1: GP da Alemanha (treino oficial)       Sportv/Globo (apenas o Q3)

10h35       GP2: etapa de Hockenheim

14h20       GP3: etapa de  Hockenheim

21h             Nascar Xfinity: etapa de Iowa                Fox Sports 2

 

Domingo (31)

4h10    GP3: etapa da Alemanha                                Sportv

9h         Fórmula 1: GP da Alemanha                          Globo

14h      Brasileiro de F-Truck: etapa de Interlagos    Band

14h30   Nascar Sprint: etapa de Pocono                     Fox Sports 2

15h30   Verizon Indycar: etapa de Mid Ohio            Band/Band Sports

Fórmula 1 tem a ver com Olimpíada? Neste caso sim…

Já que estamos em tempos olímpicos e o esporte motor dificilmente fará parte um dia da festa, apesar de algumas tentativas tímidas e ideias mirabolantes, e se eu dissesse que uma coisa pode ter mais a ver com a outra do que parece? Você imaginaria que, entre as centenas de profissionais que trabalham no circo da F-1 há um que pode bater no peito e se orgulhar do fato de ser um medalhista olímpico? Pois é, esse cara existe.

E não está ligado a qualquer tipo de atividade de preparação física, treinamento de mecânicos para ganhar tempo nos boxes ou coisa do tipo. Tom Stallard não apenas é funcionário da McLaren como, depois de alguns anos como engenheiro de performance de Jenson Button (o cara responsável pela análise dos milhões de dados da telemetria), se tornou nada menos do que o engenheiro-chefe da máquina do compatriota. É dele a voz que se ouviu no rádio do carro 22 orientando Button a agir diante da perda momentânea de desempenho na Hungria, o que valeu punição e puxão de orelhas da FIA.

Pois Stallard, antes de se dedicar à engenharia mecânica, era remador e dos bons – aliás, está aí outra coisa que os súditos de sua majestade sabem fazer bem. No currículo, tem participação em três campeonatos mundiais e duas olimpíadas. Na última delas, Pequim’2008, integrou a tripulação do oito que ficou com a prata. Pouco depois, deixou o barco um pouco de lado para se dedicar a livros e computadores. E como lembra o campeão mundial (de F-1) de 2009, o engenheiro tem de ser competente o suficiente para saber indicar a direção correta sem ter sentado uma vez sequer no carro que está sob sua responsabilidade. Missão cumprida com orgulho e profissionalismo. Já que não dá mais para transmitir dos boxes as orientações sobre o que o piloto deve fazer (e Button é daqueles que menos precisavam da ajuda), talvez seja o caso de dizer, quando as coisas não estiverem bem: “vamos Jenson, reme, reme, reme…”

Esso-in-car

Stallard em Pequim (o segundo em pé, da esquerda para a direita) – britishrowing.orgM8-Beijing-2008

Teve corrida? Acho que teve (Coluna Sexta Marcha – GP da Hungria)

hamhun

Tudo bem, esperar por ultrapassagens em Hungaroring era tarefa das mais ingratas, mas o problema da 31ª edição do GP no país que um dia fez parte da Cortina de Ferro não esteve na pista. Vai ter gente me chamando de chato, pedindo para  mudar o disco arranhado, mas é difícil ficar quieto diante do que ocorreu fora da pista. Quando parecia que a FIA se mostraria mais flexível com relação à chuva, o que se viu foi um treino oficial transformado em novela – um espirro e lá vinha a bandeira vermelha. Ora, se o cronômetro está correndo, mostre-se a bandeira amarela (as duas, que exigem tirar o pé de verdade), deixe-se o tempo andar e, se não sobrar nada, azar de quem deixou para a última hora, ou perdeu a tentativa boa. Ingrato por vezes, mas deveria ser parte do jogo.

E o pior é que, na única vez em que o amarelo prevaleceu, quem acabou na pole foi beneficiado justamente pela posição que ocupava na pista – e ainda assim sob forte suspeita, que causou alvoroço entre os adversários. Dizer que a largada restabeleceu a justiça pelos lados de Budapest é exagero, mas ainda acho que as corridas devem ser resolvidas mais na pista do que na sala dos comissários.

Falando em pista me veio à cabeça a sensacional ultrapassagem com que Nelson Piquet driblou Ayrton Senna na primeira edição do GP húngaro – os quase 1.000cv do motor Honda empurrando sua Williams, as rodas de lado pela área de escape. Tivesse sido domingo e ele teria sido punido por “desrespeitar os limites do traçado”. Não sei o amigo leitor, mas eu não me diverti nem um pouco ouvindo dezenas de vezes mensagens de rádio do tipo “fulano, esse é o segundo alerta, mais cuidado nas curvas 4 e 11”. A ponto de instalar sensores nas zebras, exagero dos exageros. Mais um pouco e começarão a surgir punições por travadas de pneu nas freadas – por muito pouco atirar a sobreviseira no asfalto não se tornou crime hediondo.

Pior de tudo é que os pilotos também colaboram. Sim, todo mundo sabe o que quer dizer uma bandeira azul mostrada na pista, mas fica parecendo que os retardatários estão, de propósito, complicando a vida dos líderes. Pois pior do que o circuito da Hungria só Mônaco em termos de aperto, não é toda hora que surge um espaço bacana para ajudar. Não justifica os palavrões de Sebastian Vettel ou o gesto desaforado do vencedor Lewis Hamilton em direção a Esteban Gutiérrez. No mais, teve até corrida (teve?). Bom, de todo modo tomara que tenha em Hockenheim, ou o tal do circo vai ficar chato…

Agenda de corridas para todos os gostos

A167465_full

Sim, a segunda metade do ano também avança rápido como as máquinas que costumam compor a agenda semanal do blog – menos mal que o fim de semana que é de descanso para a grande maioria proporciona uma variedade de campeonatos capaz de não deixar ninguém a seco (talvez a turma que admira o WRC seja a rara exceção). E mais uma vez a ação promete ser quente fora e dentro da pista, considerando que a progamação está concentrada do lado de cima do Equador. Mundiais de F-1 na Hungria e de Endurance em Nurburgring; Brickyard 400 em Indianápolis com direito à presença de sua majestade Jeff Gordon, substituindo o contundido Dale Earnhardt Jr. Considerando que quase tudo estará na telinha, difícil achar motivos para reclamação. Como aliás deveria ser o caso sempre, que o bom é assim. Relaxe e curta…

Internacional
Mundial de Fórmula 1: 11ª etapa – GP da Hungria
Mundial de Endurance (FIA WEC): quarta etapa – 6h de Nurburgring
GP2: sexta etapa – Hungaroring
GP3: quarta etapa – Hungaroring
Nascar Sprint Cup: 20ª etapa – Brickyard 400 (Indianapolis)
Nascar Xfinity Series: 19ª etapa – Lilly 250
IMSA Weather Tech Championship: oitava etapa – Lime Rock (*)
(*) apenas as categorias LMPC e GTD
Formula 3.5 V8: quinta etapa – Silverstone
Euroformula: quarta etapa – Silverstone
GT Open: quarta etapa – Silverstone
Supercars (Austrália): sétima etapa -Ipswich
Sul-Americano de F-4: quinta etapa – El Pinar (URU)

Nacional
Brasileiro de Kart: segunda fase – Kartódromo Paladino (Conde-PB)

Na telinha
Sábado (23)
9h Fórmula 1: GP da Hungria (treino oficial) Sportv/Globo (apenas o Q3)
10h35 GP2: etapa de Hungaroring Sportv
12h15 GP3: etapa de Hungaroring Sportv 3
16h30 Nascar Xfinity: Lilly 250 Fox Sports 2
Domingo (24)
4h10 GP3: etapa de Hungaroring Sportv
5h20 GP2: etapa de Hungaroring Sportv
8h10 FIA WEC: 6h de Nurburgring Fox Sports 2
9h Fórmula 1: GP da Hungria Globo
16h Nascar Sprint Cup: Brickyard 400 Fox Sports 2

Eu na Fórmula 1 de novo e a Mercedes de papel…

Calma, amigo leitor, antes que você ache que é alguma invenção ou maluquice, eu explico o título. Corria o ano de 2007 quando a Honda, preocupada em veicular uma imagem de respeito ao meio ambiente e sem grandes patrocinadores que barrassem a ideia, resolveu transformar os carros de Jenson Button e Rubens Barrichello num mapa-mundi em tamanho gigante – e ainda hoje a decoração do RA107 é uma das mais sensacionais da história da categoria. Como se não bastasse, lançou um concurso pela internet em que convidava os fãs da velocidade a enviar suas fotos, que apareceriam espalhadas pela carroceria. Eu mandei a minha, e recebi a confirmação de que ela ganhou um lugar no carro do britânico no GP da Alemanha, na dianteira.

Já estava bom o bastante, e por muito tempo imaginei que seria minha primeira e única experiência com um F-1 na pista. Mais eis que agora, tanto tempo depois, a Renault resolveu fazer coisa parecida, mas dispondo de tecnologia bem mais moderna do que há nove anos. Por meio da hashtag #LetsRaceTogether (vamos correr juntos), convocou apaixonados de todo o mundo a literalmente entrar de cara no circo. Mas como não haverá espaço para todos, resolveu não deixar ninguém insatisfeito e criou uma experiência personalizada, registrada em vídeo. Ao menos na realidade virtual, lá estou eu atrás da entrada de ar da unidade de potência francesa do carro de Kevin Magnussen. E você também pode brincar, retuitando a hashtag.

Quanto à segunda parte do título, eu também não perderia a chance. Uma das patrocinadoras da Mercedes é a Epson, gigante japonesa das impressoras e periféricos. Que resolveu brincar com seus produtos (não é preciso ter um para fazer o mesmo) e trazer de volta uma tradição do passado que andava distante: a das maquetes de papel. Pois no site da empresa estão disponíveis os moldes dos carros de Lewis Hamilton e Nico Rosberg do ano passado, em escala 1:18. Sensacional inclusive pelo grau de detalhamento e para dar uma ideia bastante perfeita do quebra-cabeças que é um F-1. Eles sugerem que você use papel fotográfico, mas eu indicaria uma alternativa mais simples e barata: imprima no papel normal, cole cada folha em papelão fino (como os de caixas de Sucrilhos) e então recorte e cole. Não vem com marcas de toques e carenagens danificadas, mas tem a vantagem de que,  em caso de danos, é bem mais fácil de resolver do que na vida real.

Os moldes estão no http://global.epson.com/company/sports/formula_one/

 

 

Agenda de um bom domingo de julho…

barthez

Como do lado de cima do Equador é uma coisa e aqui é outra, embora lá como cá estejamos em momento de férias (escolares para nós, gerais para eles), muitos campeonatos, especialmente na Europa, optam por preservar uma parada de verão e evitam corridas entre o fim de julho e o começo de agosto. Felizmente ainda não é o caso e, mais do que isso, não é o caso dos Mundiais que, até por uma questão logística, precisam seguir a plena carga. Nos EUA, com os calendários repletos, principalmente no caso da Nascar, também não dá para parar muito. Dito isso, o fim de semana reserva ótimas atrações e, melhor ainda, nos dois hemisférios.

Aliás, falando nos EUA, a quarta-feira reserva uma prova relativamente nova, mas que em pouco tempo se tornou coqueluche: a etapa da Nascar Camping World Truck Series no oval de terra de Eldora, o que exige pilotagem e acerto totalmente diferentes. Não chega ao caso de dizer que os V8 levantam poeira, mas é quase. E por aqui temos Stock/Turismo/Fórmula 3/Mercedes-Benz Challenge em Cascavel e a primeira fase do Brasileiro de Kart no recém inaugurado Kartódromo Paladino, na Grande João Pessoa. Mais uma praça para a prática do esporte a que breve se soma o Circuito dos Cristais, em Curvelo, o que sempre traz esperança de dias melhores e mais saúde para nossos automobilismo e motociclismo.

Internacional
Mundial de Moto GP: nona etapa – GP da Alemanha (Sachsenring)
European Le Mans Series: terceira etapa – Red Bull Ring
Verizon Indycar Series: 11ª etapa – GP de Toronto
DTM: quinta etapa – Zandvoort (HOL)
Europeu de Fórmula 3: sexta etapa – Zandvoort (HOL)
Europeu de Fórmula Renault: quarta etapa – Red Bull Ring
Nascar Sprint Cup: 19ª etapa – New Hampshire 301 (Loudon)

Nascar Xfinity Series: 18ª etapa – AutoLotto 200 (Loudon)

Nascar Camping World Truck Series: 11ª etapa – Aspen Dental Eldora Dirt (Eldora) * dia 20 (quarta-feira)

Superformula: terceira etapa – Fuji Speedway

Nacional

Brasileiro de Stock Car: sexta etapa – Cascavel

Brasileiro de Fórmula 3: terceira etapa – Cascavel

Brasileiro de Turismo: quarta etapa – Cascavel

Mercedes-Benz Grand Challenge: quarta etapa – Cascavel

Brasileiro de Kart (primeira fase) – Kartódromo Paladino (PB)

Na telinha

Sábado (16)

7h30    Mundial de Moto GP: GP da Alemanha (treinos livres)             Sportv

12h      Stock Car: etapa de Cascavel (treino oficial)                 Sportv 2

17h       Nascar Xfinity: etapa de New Hampshire            Fox Sports 2

Domingo

6h             Mundial de Moto GP: GP da Alemanha               Sportv 2

10h30    Mercedes-Benz Challenge                          Band Sports

12h30    Stock Car: etapa de Cascavel                       Sportv

14h15     Nascar Sprint: etapa de New Hampshire            Fox Sports 2

15h45      Verizon Indycar Series: GP de Toronto                Band/Band Sports

Saudades da Fórmula 1 (Coluna Sexta Marcha – GP da Inglaterra)

Antes de mais nada, que o amigo leitor me perdoe o atraso, que a corrida ocorreu no domingo e só na quarta-feira eu me digno a falar sobre ela, com tanta coisa que já houve depois. Mas é que nesses dias inicio um novo desafio profissional como editor-adjunto do Jornal Hoje em Dia e a correria foi acima do habitual, algo normal num momento de adaptação. Mas o blog segue firme e forte e logo retoma sua velocidade de cruzeiro, para a alegria dos cinco leitores habituais (pela margem de erro, entre 4 e 7).

brit

Confesso que tive a mesma reação de dezenas de milhares de pessoas pelo mundo ao ligar a TV e dar de cara com o safety car à frente do grid – sinal de que a corrida começaria com aquela procissão cada vez mais habitual toda vez que algumas gotas de chuva molham o asfalto. Não faltou gente fazendo montagens que lembravam largadas de eras passadas, quando o spray era muito maior, a visibilidade muito menor e os pilotos se viravam mesmo assim. Lembro-me inclusive de uma história contada por Wilson Fittipaldi quando perguntado sobre como fazia para partir do fim da fila quando a água caía com força, ao que ele respondeu “eu me guiava pelo barulho do carro da frente. Quando ele ficava menor, era sinal de que havia largado, e eu saía também”.

Não estou defendendo aqui um comportamento irresponsável da FIA ou a adoção de medidas que ponham a integridade dos pilotos em risco, mas talvez bastassem duas ou três voltas sob regime de safety car virtual para liberar a tropa. Olha que tempestades bem maiores já banharam as pistas do circo e nem por isso tamanha cautela era adotada. Casos como o do GP da Austrália de 1991, que durou não mais que 24 minutos e 16 voltas eram exceção, não regra. E é sempre bom lembrar que a fatalidade que levou embora Jules Bianchi não se deu numa largada, mas durante o GP do Japão de 2014. Os italianos adoravam chamar os pilotos do circo de “cavaleiros do risco”, mas o maior risco agora é de ver o interesse do torcedor se voltar para outras bandas.

Porque se é para largar com pneus intermediários ou full wet que servem apenas para criar um trilho na pista e secá-la rapido, melhor mandar São Pedro definir o calendário e esquecer que um dia Bernie Ecclestone pensou que molhar o asfalto artificialmente seria a salvação dos males da F-1. No fim das contas, a Mercedes é sempre a Mercedes e Lewis Hamilton, tal e qual 2015, rema decidido rumo ao título – no frigir dos ovos, não há dúvidas sobre quem é mais piloto no time das Flechas de Prata.

Aí vem outra “novidade” dos tempos atuais que deu o que falar em Silverstone: a punição a Nico Rosberg pela orientação via rádio para lidar com um problema na sétima marcha. Ora, concorde-se ou não, ficou definido que o piloto não pode ser ajudado nesse tipo de situação (e que saudade dos tempos em que os pilotos perdiam uma, duas, três marchas e conseguiam se virar sozinhos – houve um certo Ayrton Senna que perdeu quase todas e ainda assim venceu pela primeira vez em casa). Sim, os tempos mudaram, os carros são mais do que nunca um concentrado de tecnologia complicada mas, se a peça entre o banco e volante não fizer a diferença, então é melhor trazer o macaco que Niki Lauda uma vez disse ser capaz de comandar um F-1 atual.

E é mesmo bem provável que a Mercedes tenha agido de forma deliberada, trocando a punição de 10 segundos pela chance de o alemão seguir o roteiro estabelecido para não ficar pelo caminho – não é assim com câmbios e motores, que já começaram a chatura de mexer no que a pista determina? Já que é possível fiscalizar, prefiro as restrições tais como estão. E é difícil deixar de acompanhar, mas que dá uma saudade de outros tempos em que as coisas eram mais fáceis…

 

Agenda da escola, quer dizer, de F-1 (e do resto…)

merc

A escolha da foto do post não foi sem motivo. Trata-se da imagem usada pela Mercedes em seu site quando divulgou o comunicado em que revelava como agiria na gestão da rivalidade interna de seus pilotos (e como eles deveriam se portar na pista a partir da polêmica da Áustria). Veio à tona a história das regras de conduta que ninguém sabe quais são, mas que estão valendo a partir do GP da Inglaterra, em Silverstone. Triste ver que nos tempos atuais a roupa suja tem que ser lavada em público e não bastam as conversas internas. Era o caso de dizer que cúpula e pilotos conversaram e entenderam como deveria ser e que a disputa, guardadas certas condições, estava liberada, não mais do que isso. Enfim, é o caso de ver como Nico Rosberg e Lewis Hamilton, os donos das Flechas de Prata se comportarão numa prova que, mais do que nunca, parece não proporcionar adversários à altura. Em todo o caso, a história de ameaçar com suspensão está mais para escola secundária do que time de F-1.

Dito isso, a agenda, que por aqui não reserva nenhuma prova digna de nota, está especialmente movimentada do lado de lá do Atlântico, com Indy, Imsa e as três divisões da Nascar (Truck e Xfinity já foram, a Sprint faz parte dos embalos de sábado à noite), além do Mundial de Superbike na sempre interessante visita a Laguna Seca. Resumindo, um bocado de coisa boa para animar o fim de semana da velocidade…

Internacional

Mundial de Fórmula 1: 10ª etapa – GP da Inglaterra

GP2: quinta etapa – Silverstone

GP3: terceira etapa – Silverstone

Mundial de Superbike (WSBK): nona etapa – GP dos Estados Unidos (Laguna Seca)

Verizon Indycar Series: 10ª etapa – GP de Iowa

Imsa Weather Tech Championship: sétima etapa – Mosport (CAN)

Nascar Sprint Cup: 18ª etapa: Quaker State 400 (Kentucky)

Nascar Xfinity Series: 17ª etapa – Alsco 300 (Kentucky)

Nascar Camping World Truck Series: 10ª etapa – Buckle up in  your Truck 225 (Kentucky)

Supercar: sexta etapa – Townsville (AUS)

Na telinha

Sábado

6h                  Fórmula 1: GP da Inglaterra (terceiro treino livre)               Sportv 2

9h                  Fórmula 1: GP da Inglaterra (treino oficial)         Sportv 2/Globo (* apenas o Q3)

20h30          Nascar Sprint: etapa de Kentucky

Domingo

4h10           GP3: etapa de Silverstone                 Sportv 2

5h20           GP2: etapa de Silverstone                 Sportv 2

9h                  Fórmula 1: GP da Inglaterra            Globo

12h                IMSA Weather Tech: etapa de Mosport                               Fox Sports 2

18h30          Indycar: GP de Iowa                      Bandsports

O avesso do inverso do contrário (Coluna Sexta Marcha – GP da Áustria)

manoraus

Eu juro que queria entender: Lewis Hamilton passa o fim de 2015 inteiro dizendo que gostaria de adotar estratégias diferentes das do companheiro Nico Rosberg e, quando isso se torna realidade, questiona o motivo de o “colega” ter pneus supermacios no último stint do GP da Áustria, enquanto ele carrega os macios.

Mais: o tricampeão consegue o que parecia impossível (até onde consta ele não foi informado dos problemas com Rosberg), encosta e, fazendo valer o empurrão extra do DRS, se aproveita do espaço no exterior da curva para tomar a posição. Nico jura de pés juntos que apenas fez o carro alargar a trajetória para defender o posto, mas fica claro que ele comboia Hamilton para fora da pista – alguém prestou atenção nas marcas de pneus na trajetória correta, por dentro, e como o alemão está longe dela? Com a cara mais deslavada do mundo, depois de ver o acidente algumas vezes na TV (com certeza), diz que o julgamento geral era equivocado porque todos estavam se baseando no momento após o toque.

A cúpula da Mercedes se descabela e considera voltar com as ordens de equipe, que haviam sido suspensas justamente em nome do espetáculo e da disputa, mas também não sabe direito a quem culpar. Toto Wolff lembra do Barein’2014, quando os dois deram um show de pilotagem sem passar do limite, mas esquece que muita água rolou por baixo e por cima da ponte desde então.

Para completar o cenário surreal, os comissários da FIA reconhecem a culpa de Rosberg, mas, no melhor estilo Pilatos, aplicam uma punição ridícula que não muda sequer sua posição na corrida. Ora, se ele colocou deliberadamente o companheiro para fora da pista e ainda por cima insistiu com um carro soltando pedaços até receber a bandeirada (e sem entrar nos boxes, como seria a obrigação), 10 segundos e nada são a mesma coisa. Por muito menos Sergio Pérez perdeu cinco posições no grid depois de levar Felipe Massa junto no Canadá’2015. Mas, interferir num duelo fratricida e correr o risco de definir o destino da temporada num tapetão desses parece ser forte demais para justificar pena mais severa.

Agora o leitor talvez entenda o título maluco da coluna, porque tudo que envolveu a polêmica decisão da prova foi o avesso de como deveria. E não só isso: foi o caso de colocar zebras de 4 centímetros de altura para delimitar até onde seria possível levar as rodas e as quebras de suspensão provocaram uma onda de críticas… às coitadas das zebras. Pelo visto a acuidade espacial de muita gente boa anda fora de esquadro, como tantos pilotos e ex-pilotos destacaram. Se estivéssemos em Mônaco e a zebra fosse o guard-rail, quebrava muito mais coisa…

Dito isso, a chuva nem precisou aparecer para embolar um pouco o cenário – tudo bem que as trocas de câmbio se encarregaram de chacoalhar as coisas na véspera. Mas a estratégia realmente não anda fazendo bem a algumas equipes. Ferrari e Williams parecem ter esquecido tudo de bom que fizeram no ano passado, assim como a confiabilidade de ambas está longe de ser um primor. Num campeonato em que definitivamente ninguém brigará com as Mercedes (pelo título), lá vai a Red Bull subindo a ladeira com um motor, quer dizer, unidade de potência que, até ano passado, merecia ir para o lixo, na opinião do trio Horner/Marko/Mateschitz.

Pena que toda essa confusão escondeu a prova absurdamente digna de Pascal Wehrlein, com uma Manor renascida. Antes que alguém diga que o atual campeão do DTM se beneficiou dos vários abandonos, não custa lembrar que ele largou em 12º e foi constantemente mais rápido do que Sauber, Renault e Force India. Mais do que Max Verstappen, ele sim merecia ser o piloto do dia no GP

 

 

Agenda quente como o verão (lá de cima…)

blogagenda

Por aqui começou o inverno, o que quer dizer que do lado de cima do Equador faz calor, e normalmente um bocado – a etapa do DTM e do Europeu de F-3 em Norisring, semana passada, teve os termômetros batendo a casa dos 40 graus. Na maior parte dos países (e das regiões), no entanto, os termômetros são mais amenos, o que só ajuda a quem quer acompanhar uma agenda repleta de corridas interessantes. Esse é mais um final de semana que acumula mundiais e, além de tudo, vai revelar campeão, que pode ser brasileiro, na Fórmula E. Se Nelsinho Piquet brilhou na primeira temporada do campeonato, desta vez Lucas di Grassi comanda a tabela, embora apenas um ponto à frente do suíço Sebastien Buemi, e com duas provas nas ruas do Battersea Park, em Londres – seria um trocadilho muito do vagabundo dizer que a disputa será eletrizante, mas tomara que o desfecho tenha verde e amarelo em evidência.

Na Áustria, temos os dois GPs (o da Mercedes e o dos outros, o segundo bem mais emocionante que o primeiro), a não ser que a chuva resolva dar uma força. O Mundial de Rally desbrava as estradas de terra polonesas, enquanto o de Rallycross acelera na menos gélida Suécia. Do outro lado do Atlântico, o feriado do 4 de julho é sinônimo de retorno da Nascar a Daytona, para um evento que já teve, em outros tempos, até presidente da república na plateia. Por aqui, a F-Truck em Londrina e o Brasileiro de Rally em Piraquara, na Grande Curitiba, garantem a emoção…

Internacional

Mundial de Fórmula 1: nona etapa – GP da Áustria (Red Bull Ring)

Mundial de Rally (WRC): sétima etapa – Raid Polsky (Polônia)

Mundial de Rallycross (FIA RX): sexta etapa – Holjes (SUE)

Fórmula E (2015/16): última etapa – Londres

GP2: quarta etapa – Red Bull Ring

GP3: segunda etapa – Red Bull Ring

TCR International Series: sétima etapa – Sochi (RUS)

Europeu de Fórmula Renault: terceira etapa – Monza

Blancpain GT Sprint Series: terceira etapa – Nurburgring

Nascar Sprint Cup: 17ª etapa – Coke Zero 400 (Daytona)

Nascar Xfinity Series: 16ª etapa – Firecracker 250 (Daytona)

IMSA: sexta etapa – 6h de Watkins Glen

Nacional

Brasileiro de F-Truck: quinta etapa – Londrina

Brasileiro de Rally (velocidade): terceira etapa – Piraquara (PR)

Brasileiro de Rally Cross-Country: Baja Jalapão

Na telinha

Sexta (1°)

20h30                 Nascar Xfinity Series: etapa de Daytona                                  Fox Sports 2

Sábado (2)

6h                       Fórmula 1: GP da Áustria (treino livre)              Sportv

9h                        Fórmula 1: GP da Áustria (treino oficial)              Sportv 2/Globo(*)

11h30               Fórmula E: etapa de Londres                Fox Sports 2

20h45               Nascar Sprint Cup: Coke Zero 400                  Fox Sports 2

Domingo (3)

4h10                  GP3: etapa do Red Bull Ring          Sportv

5h20                 GP2: etapa do Red Bull Ring          Sportv

6h30                  Porsche Supercup: etapa do Red Bull Ring             Sportv

9h                        Fórmula 1: GP da Áustria              Globo

11h30               Fórmula E: etapa de Londres                Fox Sports 2

13h                      F-Truck: etapa de Londrina                Band

13h30               IMSA: 6h de Watkins Glen               Fox Sports 2